O que é isso companheiro? | Hoje Na História

4 de setembro de 1969

Há 51 anos iniciava-se o que viria a ser um dos episódios mais marcantes na luta contra a ditadura estabelecida no Brasil em 1964. Neste dia, jovens que faziam parte do Movimento Revolucionário 8 de Outubro (MR-8) e da Ação Nacional Libertadora (ALN), colocavam em prática um ousado plano: sequestrar o então embaixador dos EUA, Charles Burke Elbrick. Essas organizações participavam da luta armada e do movimento de resistência, utilizando como tática a guerrilha urbana. Eles tinham como principal objetivo acabar com o regime vigente e restabelecer a democracia.

O MR-8 ganhou grande destaque nas mídias nacionais e internacionais, chamando a atenção mundial para os questões relacionadas aos excessos cometidos pelo governo brasileiro. Os integrantes que compuseram a ação, executaram com sucesso seu intento. Para libertar o embaixador, foram feitas duas exigências. A primeira era a liberação de 15 prisioneiros políticos, componentes de diversos setores da sociedade. A segunda era a publicação de uma carta manifesto, enviada para as autoridades, que deveria ser lida em rede nacional, tanto no rádio como na televisão. Ali eles assumiam a autoria do sequestro e denunciavam vários crimes cometidos pela Ditadura, chamando a atenção para a tortura e o desaparecimento de pessoas.

Apesar de saber o local onde o embaixador era mantido preso, as autoridades decidiram atender às demandas do MR-8 e da ANL, por temerem que Elbrick viesse a ser morto. O diplomata foi solto próximo aos estádio do Maracanã em um dia de jogo logo após a chegada dos exilados no México. Esses fatos foram extensamente descrito no livro de Fernando Gabeira – ex-integrante do MR-8 e participante ativo da ação – O que é isso companheiro?. O filme homônimo e baseado na obra foi produzido em 1997.

Na foto vemos os presos políticos que estavam na lista do MR-8 e da ALN no momento em que estavam indo para o exílio no México.

Conheça nossa campanha de financiamento contínuo

Entre em www.catarse.me/clio e conheça a nossa campanha de crowdfunding no Catarse, a partir de R$ 5,00 você já ajuda o Clio a se manter no ar e produzir mais conteúdos para vocês

Financiadores desse post

Cristina Lima, Elizabeth Santos, Gabriel Bastos, Gui Aschar, Hannah Lima, Lazaro Coelho, Paula Guisard, Rosana Vecchia, Suzana Athayde, Vanessa Spinosa

Para todos vocês, nosso muito obrigado!

Você também pode nos financiar via PicPay. Você pagou aquele boleto, deu cashback e você não vai usar, não vai fazer falta? Então porque não apoiar um projeto de comunicação e educação histórica. Procura a gente lá em https://app.picpay.com/user/cliohistoriaeliteratura

Siga o Clio nas Redes Sociais!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Saiba como seus dados em comentários são processados.