Nasce Jô Soares | Hoje Na História

Hoje Na História, 16 de Janeiro de 1938.

Em 16 de janeiro de 1938, há exatos 81 anos, nascia o humorista, escritor, dramaturgo, diretor, apresentador e ator Jô Soares. José Eugênio Soares, conhecido como Jô Soares, nasceu no Rio de Janeiro, é filho dos paraibanos Mercedes Pereira Leal e Orlando Heitor Soares, e bisneto do conselheiro Filipe José Pereira Leal. Fã de Jerry Lewis, fazia graça desde de pequeno, e muito de suas comicidades foram influenciadas por seus pais. Chegou a estudar para ser diplomata, mas começou a perceber que seu caminho era o teatro e a comédia. Ele se apresentava em vários bares e boates desde cedo e assim foi ganhando atenção. No entanto, começou sua fama ao escrever o roteiro e interpretar o personagem Gordon, o mordomo no programa “Família Trapo”(1967) ao lado do já conhecidíssimo Carlos Alberto de Nóbrega. Dentre outros de seus programas estão: “Faça Humor, Não Faça Guerra” (1970), “Satiricom” (1973), “Planeta dos Homens” (1976), “Viva o Gordo” (1981), “Veja o Gordo” (1988), e os Talk shows, “Jô Soares Onze Meia” (1988-1999), e o “Programa do Jô” (2000-2016), além de suas participações e comentários em programas e suas apresentações solos teatrais, que foram “polêmicas” por serem explicitamente contra a ditadura, como: “Viva o Gordo, Abaixo o Regime”. Entre suas peças dirigidas e atuadas estão: “A Compadecida”, de Ariano Suassuna, “Passeio sob o Arco-Íris”, de Guilherme Figueredo, “Oscar”, de Claude Magnier; “Os 30 Milhões do Americano”, de Gladiator Labiche, e “Tudo no Escuro”, de Peter Schaffer, entre outras. E “Os 7 Gatinhos”, “Romeu e Julieta”, “O Estranho Casal”, “Oh Carol”, “A Feira do Adultério”. Jô é fascinado por Jazz, e já teve programa nas rádios Jornal do Brasil e Antena 1 do Rio de janeiro. Dentre seus livros mais conhecidos estão: “O Xangô de Baker Street” (1995), “O Homem que Matou Getúlio Vargas” (1998), “Assassinatos na Academia Brasileira de Letras” (2005), “As Esganadas” (2011), entre outros. Em 2016, Jô Soares ganha a honraria da cadeira de numero 33 na Academia Brasileira de Letras, sendo assim homenageado e consagrado por suas contribuições e obras. No mesmo ano, Jô acaba optando por sair da televisão, colocando fim ao seu programa de entrevista. Porém, ainda mantém suas ideias em prática, continuando a dirigir peças teatrais, como por exemplo “A noite de 16 de janeiro” (2018). Difícil falar de tudo que esse homem fez, mas para mais curiosidades podem ler sua biografia: “O livro de Jô – uma autobiografia desautorizada – vol. 1 e vol. 2”. Não caberia aqui em palavras o quão é rico e importante seu trabalho, seus pensamentos, suas criticas, suas criações, seus debates, a capacidade de ouvir, e gerar oportunidades, dar espaço ao outro e mostrar algo diferente, tanto para as artes, quanto no contexto social e politico brasileiro.

Feliz Aniversário Jô! Tudo de bão!

(Nem preciso falar que queria ser entrevistada por ele e conhece-lo).

E vocês, qual é a memoria que vocês tem de Jô Soares ?

Na imagem: Jô imitando Jerry Lewis.


Conheça nossa campanha de financiamento contínuo

Entre em www.catarse.me/clio e conheça a nossa campanha de crowdfunding no Catarse, a partir de R$ 5,00 você já ajuda o Clio a se manter no ar e produzir mais conteúdos para vocês

Financiadores desse post

Cristina Lima, Elizabeth Santos, Gabriel Bastos, Gui Aschar, Hannah Lima, Paula Guisard, Reverson Nascimento, Rosana Vecchia, Suzana Athayde, Vanessa Spinosa

Para todos vocês, nosso muito obrigado!

Siga o Clio nas Redes Sociais!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Saiba como seus dados em comentários são processados.