ClioCast #043: Da Escravidão ao Pancadão: Uma história do funk e suas relações com o racismo estrutural brasileiro

É som de preto/ de favelado/ mas quando toca/ ninguém fica parado! Ao som desse clássico do pancadão carioca nossa bancada, formada pelo Bruno e pelo Victor, recebe o MC Camarada Janderson para traçar um panorama sócio-cultural-histórico do funk e suas relações com o racismo estrutural brasileiro, além de suas relações com outras manifestações culturais negras no Brasil. Vem com tudo e dá seu play!


Para ouvir o episódio basta apertar o play no miniplayer acima

Você também pode ouvir o episódio no Apple Podcasts, Spotify e Google Podcasts. Você também pode baixar o episódio usando esse link

Assine: Apple Podcasts Spotify | Google PodcastsAndroid | RSS


Tópicos do Programa

  1. Apresentação
  2. Bloco Principal: Brasil país forjado através da escravidão de milhões de africanos sequestrados e vendidos como mercadoria – Transição de modos de produção: negros enquanto lúmpen e parcela mais superexplorada da população – Projeto de branqueamento da população brasileira – Eurocentrismo – Racismo estrutural: o que é? – Repressão as práticas religiosas africanas e o sincretismo como elemento de aculturação, porém de resistência – Criminalização da cultura negra e popular é uma constante no Brasil: capoeira, medicina tradicional, religiões afro-brasileiras – Samba de partido Alto e o embranquecimento da Bossa Nova – Influências culturais do Funk: desde os tambores de candomblé ao Miami beat – Rebaixamento cultural e cafonice: Relativismo: outros temas tratam de sexualidade de forma escancarada e às vezes pejorativa e não recebem as mesas críticas que o Funk – Produção cultural de resistência: Som produzido a baixo custo – Funk e a realidade das periferias: do “proibidão” ao funk melody e comercial – Valores e sociabilidades do funk sem moralismos: Foi o funk que inventou o machismo e outras opressões? – Mídia comercial e representações hegemônicas do Funk – Análise dos pancadões e bailes de favela – Funk foi cooptado pela ideologia de mercado? – Chacinas de funkeiros nos morros cariocas – Profissionalização do Funk – É possível disputar e criar um funk anticapitalista? – Paraisópolis e repressão
  3. SAC: Serviço de Atendimento ClioCast
  4. Rolê Cultural
  5. Barraca do Beijo
  6. Encerramento

Tem alguma dúvida, crítica, sugestão? Então manda um e-mail pra gente!

Conheça nossa campanha de financiamento contínuo

Entre em www.catarse.me/clio e conheça a nossa campanha de crowdfunding no Catarse, a partir de R$ 5,00 você já ajuda o Clio a se manter no ar e produzir mais conteúdos para vocês

Financiadores desse post

Beatriz Aguiar, Cristina Lima, Gabriel Bastos, Gui Aschar, Paula Guisard, Reverson Nascimento, Rosana Vecchia, Suzana Athayde, Vaness Spinosa

Para todos vocês, nosso muito obrigado!

Siga o Clio nas Redes Sociais!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Saiba como seus dados em comentários são processados.