Agora a Inês É Morta | Hoje Na História

em

Hoje Na História, 7 de Janeiro de 1355

Há 665 anos, no dia 6 de Janeiro de 1355, era assassinada dona Inês de Castro, amante e postumamente reconhecida como esposa do rei português Pedro I, o Justo. De origem galega, Inês se mudou para a corte portuguesa em 1340 para ser dama de companhia de dona Constança de Castela, primeira esposa de Pedro, então príncipe infante ao trono português. Com o passar dos tempos, ambos se aproximam, se conheceram e se apaixonaram e passaram a desenvolver um relacionamento (mas nem tanto assim) escondido. O pai do infante, Afonso IV, não gostava desse romance, pois deixava a nobreza castelhana, que havia sido exilada de Portugal, muito próxima da corte, afinal os irmãos de Inês se tornaram grandes amigos e conselheiros de Pedro, o que levou a ordenar sua execução em 1355. Porém precisamos nos lembrar que em 1345 dona Constança morre e Pedro não se casa, para seu pai isso seria um horror, afinal ele temia uma crise dinástica e sucessora. Pedro e Inês se casam secretamente em 1346 e passam a viver, segundo a lenda, uma grande história de amor, digna das novelas de cavalaria. Esse amor se provaria fatal com o assassinato de Inês, porém como em toda novela de cavalaria houve o momento de vingança: quando ascendeu ao trono, Pedro reconheceu publicamente seu casamento com Inês, legitimou seus filhos e executou os carrascos do assassinato, além de, segundo a lenda, exumar o corpo de Inês, coroar seu cadáver e obrigar a corte inteira prestar homenagem a ela. Os dois foram estão enterrados no Mosteiro da Alcobaça, um de frente para o outro, onde se erguerão no Dia do Juízo Final, e a primeira coisa que verão serão um ao outro.

A história de dona Inês de Castro foi tema das mais diversas representações culturais e artísticas, sendo eternizada por Camões nos Lusíadas, além de ter dado origem a expressão popular “Agora a Inês é morta”.

Na imagem foto da efígie de dona Inês de Castro em Alcobaça


Conheça nossa campanha de financiamento contínuo

Entre em www.catarse.me/clio e conheça a nossa campanha de crowdfunding no Catarse, a partir de R$ 5,00 você já ajuda o Clio a se manter no ar e produzir mais conteúdos para vocês

Financiadores desse post

Cristina Lima, Elizabeth Santos, Gabriel Bastos, Gui Aschar, Hannah Lima, Lazaro Coelho, Paula Guisard, Rosana Vecchia, Suzana Athayde, Vanessa Spinosa

Para todos vocês, nosso muito obrigado!

Siga o Clio nas Redes Sociais!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Saiba como seus dados em comentários são processados.