Trombas e Formoso

Revoltas Camponesas no Brasil

Na década de 1940 milhares de posseiros começaram a se estabelecer na região de Trombas e Formoso em Goiás, atraídos pela política de expansão agrícola de Getúlio Vargas. Parte das terras devolutas ainda no escravismo colonial continuavam desocupadas e ocupar regiões férteis fazia parte da política de integração nacional. Logo esses posseiros começaram a prosperar e o latifúndio não os deixaria em pune. As terras passaram a ser reivindicadas por grileiros e os latifundiários da região exigiam parte da produção, e assim se estabelece o conflito entre camponeses e o latifúndio.

José Porfírio sem sombra de dúvidas foi uma das mais importantes lideranças do movimento, inclusive foi responsável por organizar os primeiros posseiros a estarem na região, em 1962 foi eleito deputado à assembleia legislativa do Goiás, se tornando o primeiro deputado brasileiro de origem camponesa.

Em 1954 o Partido Comunista Brasileiro se aproxima e se integra ao movimento de posseiros de Trombas e Formosa, e os ajuda a organizar a resistência armada e o Poder Popular no interior do movimento. Foi criada a Associação dos Lavradores de Trombas e Formoso, bem como conselhos para organizar a vida coletiva das comunidades de lavradores e a resistência contra o Estado e ao latifúndio.

José Porfírio, que havia rompido com o PCB após o XX Congresso do Partido Comunista da União Soviética, se elegeu deputado pelo PTB em 1962 e intensifica a pressão pela concessão de títulos de propriedade, no mesmo ano 20 mil títulos de propriedade são concedidos aos posseiros.

Em 1964 com o Golpe Militar e a Ditadura Civil-Militar a Associação de Lavradores é dissolvida pela repressão e centenas de lideranças são perseguidas, mortas e milhares de lavradores abandonam a região. Trombas e Formoso vão para as mãos do latifúndio novamente, com guarida do regime militar lacaio do imperialismo.


Referências bibliográficas


Visite a Livraria da Musa no link www.bomdelivros.com.br/livraria-musa/

Chave do Pix: cliohistoriaeliteratura@gmail.com

Conheça nossa campanha de financiamento contínuo

Entre em www.catarse.me/clio e conheça a nossa campanha de crowdfunding no Catarse, a partir de R$ 5,00 você já ajuda o Clio a se manter no ar e produzir mais conteúdos para vocês

Financiadores desse post

Claudia Bovo, Elizabeth Santos, Gabriel Bastos, Gui Aschar, Henrique Mundim, Juliana Santoros, Laura Athayde, Norton Kruel, Paula Guisard, Rosana Vecchia, Rosi Marques, Suzana Athayde, Vanessa Spinosa

Para todos vocês, nosso muito obrigado!

Você também pode nos financiar via PicPay! Se você tem um cashback sobre então porque não apoiar um projeto de comunicação e educação histórica.

Procura a gente lá em https://app.picpay.com/user/cliohistoriaeliteratura

Siga o Clio nas Redes Sociais!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Saiba como seus dados em comentários são processados.