#HojeNaHistória: RUBBER SOUL

03 de Dezembro de 1965

Não resta dúvida de que os Beatles foram uma das bandas mais influentes da história do rock e do pop no mundo todo. Geralmente costuma-se dividir a carreira dos FabFour em três grandes períodos: o iê-iê-iê típico de A Hard’s Day Night e Help!, a psicodelia de Sgt. Peppers Lonely Hearts Club Band e Yellow Submarine e o final da carreira marcada por experimentações artísticas e musicais de White Album e Let It Be. Um álbum porém conecta essas três fase: Rubber Soul, que faz aniversário justamente nesse 3 de Dezembro. (Aliás está fazendo 55 aninhos agora em 2020)

Rubber Soul marca uma evolução na carreira dos Beatles, e também da própria indústria fonográfica, já vamos ver por que, o LP marca uma experimentação com novos instrumentos e novas sonoridades, além de uma aproximação mais artística em relação ao conjunto total das músicas.

Em suas faixas podemos encontrar clássicos como Drive My Car, Norwegian Woods (This Bird Has Flown), Nowhere Man, Think For Yourself, entre outros petardos, mesclando elementos ainda do rock mais dançante com letras mais simples com uma nova sonoridade, e com isso estavam lançadas as sementes para as grandes psicodelias e do rock experimental e progressivo do final da carreira.

Como falei ali em cima o disco marca uma nova aproximação dos Beatles em relação ao próprio formato de álbum, afinal mais ou menos até aquela data os álbuns eram grandes catadões de singles lançados durante um período, sem muita coesão, e às vezes com músicas nem gravadas necessariamente no mesmo período. Rubber Soul muda isso, ele já gravado já pensado como uma obra coesa, para ser ouvida do começo ao fim e depois lançado os singles. Nascia a chamada Era do Álbum, que viria já no ano seguinte o lançamento de Aftermath, dos Rolling Stones, Pet Sounds, dos Beach Boys, Blonde on Blonde, do Bob Dylan, A Quick One, do Who, Otis Blue, do Otis Redding e Revolver, dos próprios Beatles.

Tentar medir a importância história do Rubber Soul é uma tarefa bem complicada para os amantes da música e do rock em especial, mas uma outra tarefa é mais fácil de ser respondida: quem é o seu Beatle favorito? E por que é o Geogre Harrison?

Conheça nossa campanha de financiamento contínuo

Entre em www.catarse.me/clio e conheça a nossa campanha de crowdfunding no Catarse, a partir de R$ 5,00 você já ajuda o Clio a se manter no ar e produzir mais conteúdos para vocês

Financiadores desse post

Alexandre Athayde, Claudia Bovo, Fabiana Jimenez, Gabriel Bastos, Gui Aschar, Henrique Mundim, Juliana Santoros, Merlim Malacoski, Paula Guisard, Rosana Vecchia, Rosi Marques, Suzana Athayde, Tiago Tavares e Silva

Para todos vocês, nosso muito obrigado!

Você também pode nos financiar via PicPay! Se você tem um cashback sobre então porque não apoiar um projeto de comunicação e educação histórica.

Procura a gente lá em https://app.picpay.com/user/cliohistoriaeliteratura

Siga o Clio nas Redes Sociais!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Saiba como seus dados em comentários são processados.