A Primeira Vítima | Hoje Na História

31 de Agosto de 1888

Jack the Ripper talvez seja o serial killer mais conhecido de toda a história. Não faltam exemplos de obras inspiradas na sua história. Não há muito o que se falar: uma série de assassinatos de mulheres no East End, a região leste de Londres, historicamente ligada às classes trabalhadoras, sejam elas do porto da cidade sejam elas operárias, mobilizaram a Scotland Yard a procurar pelo assassino. Sua identidade, porém, nunca foi revelada e os crimes se mantém abertos até a data presente.

Histórias, pseudohistórias, teorias da conspiração e outras linhas não faltam sobre os Assassinatos de Whitechapel. Alan Moore, sempre ele, fez uma leitura muito interessante sobre a história de Jack the Ripper e seus crimes na graphic novel From Hell. Se você ainda não leia, corre atrás que vale muito a pena – e pra você que viu o filme “adaptado” dela, leia e esqueça que esse longa se quer já existiu.

Mary Ann Nichols entrou para história por ser considerado a sua primeira vítima oficial – existem rumores e especulações que ocorreram outras vítimas antes do seu assassinato. Nascida Mary Ann Walker em 25 de agosto de 1845, no distrito londrino de Soho, filha de uma lavadeira e de um chaveiro. Casa-se aos 18 anos com William Nichols com quem teve cinco filhos.

O casal se separa em 1880, a causa, como quase tudo nessa história, ninguém sabe ao certo, há versões que ela já prostituia enquanto era casada, até de infidelidade por parte do marido. A verdade, como é comum em tudo que envolve Jack, nunca saberemos ao certo.

Entre 1881-88 ela trabalha como doméstica porém complementava renda com a prostituição, o que era comum para mulheres com o seu perfil naquela Londres de finais do século 19. Na noite de 31 de agosto Nichols acaba sendo assassinada, devido a um corte profundo na carótida, além de ter seu ventre cortado, e uma série de cortes feitos pela mesma faca.

Na imagem foto mortuária de Mary Ann Nichols


Conheça nossa campanha de financiamento contínuo

Entre em www.catarse.me/clio e conheça a nossa campanha de crowdfunding no Catarse, a partir de R$ 5,00 você já ajuda o Clio a se manter no ar e produzir mais conteúdos para vocês

Financiadores desse post

Cristina Lima, Elizabeth Santos, Gabriel Bastos, Gui Aschar, Hannah Lima, Lazaro Coelho, Paula Guisard, Rosana Vecchia, Suzana Athayde, Vanessa Spinosa

Para todos vocês, nosso muito obrigado!


Você também pode nos financiar via PicPay. Você pagou aquele boleto, deu cashback e você não vai usar, não vai fazer falta? Então porque não apoiar um projeto de comunicação e educação histórica. Procura a gente lá em https://app.picpay.com/user/cliohistoriaeliteratura


Siga o Clio nas Redes Sociais!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Saiba como seus dados em comentários são processados.