Um Sopro de Alegria | Hoje Na História

30 de Junho de 1520

Há 500 anos, Hernán Cortés era escorraçado da capital asteca, Tenochtitlán como deveria ter sido escorraçado da História!

No início do mês de junho de 1520, Cortez teve que ir combater as tropas enviadas de Cuba para lhe prender por insubordinação em Veracruz. Deixou seu lugar-tenente Pedro de Alvarado controlando o agora imperador fantoche Montezuma II. Vitorioso, convenceu os soldados que deveriam prendê-lo a segui-lo de volta à “Veneza da América”.

O problema é que em sua ausência, Alvarado lançou um ataque preventivo (os calhordas sempre dispõem dos mesmos subterfúgios) aos principais nobres do Império durante uma festivade religiosa no Templo Maior. A população se revoltou com a situação e voltou-se contra os castelhanos.

Quando regressou, Cortés soube que os astecas haviam eleito um novo imperador, Cuitláhuac, irmão mais novo de Montezuma e viu-se cercado no palácio por centenas de mexicas que desejavam truciar o pequeno exército invasor. Como bom covarde, Cortés fez com que Montezuma falasse ao povo para medir a temperatura da situação.

A temperatura era bem alta, pois o antigo imperador, culpabilizado por abrir as portas de seu império aos invasores foi apedrejado por seus antigos súditos (morreu dias depois devido aos ferimentos). Sem homens para enfrentar a fúria dos nativos, Hernán Cortés foi obrigado a forçar uma fuga, e perdendo homens, recursos e a dignidade, fugiu de volta para Veracruz. Esta foi a maior vitória dos astecas frente aos espanhóis e ficou conhecida pelos conquistadores como La Noche Triste.

Menos de um ano depois, Cortés voltou com mais homens e cercou Tenochtitlán, destruindo de vez o Império Asteca, mas é sempre bom lembrar como seres selvagens como Cortés fogem ao menor sinal de resistência.

Na imagem, A noite triste, óleo sobre tela de autor desconhecido, segunda metade do século XVII.

Conheça nossa campanha de financiamento contínuo

Entre em www.catarse.me/clio e conheça a nossa campanha de crowdfunding no Catarse, a partir de R$ 5,00 você já ajuda o Clio a se manter no ar e produzir mais conteúdos para vocês

Financiadores desse post

Cristina Lima, Elizabeth Santos, Gabriel Bastos, Gui Aschar, Hannah Lima, Lazaro Coelho, Paula Guisard, Rosana Vecchia, Suzana Athayde, Vanessa Spinosa

Para todos vocês, nosso muito obrigado!

Você também pode nos financiar via PicPay. Você pagou aquele boleto, deu cashback e você não vai usar, não vai fazer falta? Então porque não apoiar um projeto de comunicação e educação histórica. Procura a gente lá em https://app.picpay.com/user/cliohistoriaeliteratura

Siga o Clio nas Redes Sociais!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Saiba como seus dados em comentários são processados.