Eles Lutaram pela Pátria | Clio Indica

O filme soviético se passa em 1942, dramatizando a brava resistência de um regimento do Exército Vermelho que parte em retirada para Stalingrado. A glamourização do conflito mundial, tradicional nas produções cinematográficas ocidentais, cai por terra com a representação do diretor Serguei Bondarchuk. É possível sentir a angústia dos soldados que partiram de seus países deixando família, camaradas e suas vidas cotidianas para defenderem a U.R.S.S da invasão nazista. A batalhas cruentas, as mortes violentas e o cansaço estampado nos rostos daqueles homens é uma tentativa reconstruir como foi penosa a jornada dos povos soviéticos durante a Segunda Guerra Mundial.

Os heróis são retratados como homens, que tem suas fraquezas, necessidades, falhas e relações. A ligação entre os soldados, as relações que constituem no cotidiano e as características muito particulares dos protagonistas são alguns dos recursos que o diretor emprega para nos solidarizamos com esses militares, que deixam de ser patentes e uniformes e ganham identidade. O ódio aos invasores é nítido, os gritos nas batalhas, os insultos e boa parte da motivação que os mantém de pé é advinda deste profundo ressentimento de rancor que os povos invadidos geralmente desenvolvem por seus algozes. A fala de uma camponesa idosa a um dos militares protagonistas cristaliza o sofrimento do povo soviético que vivia em uma economia de guerra, com racionamentos, com colheitas queimadas ou saqueadas pelos invasores, onde não havia diferenciação entre homens, mulheres, crianças ou militares. O exército nazista promoveu uma verdadeira farra por onde passava, com estupros e crimes de lesa humanidade.

O filme tem 157 minutos e um ritmo mais lento, que funciona como recurso narrativo e nos faz sentir a angústia das longas esperas e guardas de posição, dos ataques repentinos, das marchas intermináveis e dos homens que lutam somente, pois é lutar ou ser colonizado pelo nazifascismo. Essa representação cinematográfica é de fato uma homenagem aos mais de 15 milhões de soviéticos que tombaram na SGM, ou Grande Guerra Patriótica, como o conflito foi nomeado pelos soviéticos.

O roteiro é uma adaptação do romance homônimo de Mikhail Sholokhov, vencedor do Nobel de literatura. O filme foi indicado à Palma de Ouro em 1975. Foi exibido recentemente na 6ª Mostra Mosfilm de Cinema Soviético e Russo, organizada pela União Municipal dos Estudantes Secundaristas (UMES). Outros filmes do mesmo diretor e de outros diretores soviéticos podem ser encontrados no site da entidade.


Conheça nossa campanha de financiamento contínuo

Entre em www.catarse.me/clio e conheça a nossa campanha de crowdfunding no Catarse, a partir de R$ 5,00 você já ajuda o Clio a se manter no ar e produzir mais conteúdos para vocês

Financiadores desse post
Alexandre Athayde, Bruno Machado, Cristina Lima, Gabriel Bastos, Gui Aschar, Humberto Athayde, Karen Badollatto, Marcelo Kriiger, Natália Castilho, Paula Guisard, Rosana Vecchia, Rosi Marques, Suzana Athayde

Para todos vocês, nosso muito obrigado!

Siga o Clio nas Redes Sociais!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s