Assassinato de Leon Trotsky

Hoje na História, 21 de Agosto de 1940

No dia 21 de agosto de 1940, há 79 anos, morria o revolucionário Leon Trotsky, em Coyoacán, no México. Foi uma das principais figuras por trás da Revolução Russa, ao lado de Lênin e dos bolcheviques. Ele nasceu na cidade de Ianovka, na Ucrânia, e seu nome era Lev Davidovich Bronstein. Conheceu o Marxismo anos 17 anos, quando foi estudar na cidade de Nikolaiev, e já no ano seguinte liderava o Sindicato dos Trabalhadores do Sul da Rússia. Aos 20 anos foi preso com outros membros do sindicato. Ficou anos exilado por perseguição política. Ainda em 1903, quando os Sociais-Democratas russos se dividiram entre Mencheviques e Bolcheviques, Trotsky se posiciona pelos Mencheviques, criando nesse momento atritos com Lênin. Ele ficou mais alguns anos exilado devido ao ativismo revolucionário e voltou para a Rússia em 1917, após a queda de Czar e o governo provisório que o sucedia. Já no contexto da Revolução ele fica ao lado de Lenin com os bolcheviques, sendo uma das principais cabeças organizadoras dos trabalhadores. Derrubam o governo provisório e projetam o início da República Soviética da Rússia. Após a consolidação da Revolução, marcada pelo fim da Guerra Cívil entre o Exército Vermelho (pró-revolução) e o Exército Branco, Lenin morre em seguida em 1924. Com esse desfecho, Trotsky passa a ser perseguido por Stalin que o reconhecia como seu último opositor. Dessa forma, Trotsky sai novamente como exilado da Rússia, passando anos por inúmeros países e se fixando no México. Em maio de 1940 ele sobrevive a um ataque a mando de Stalin para matá-lo, mas não teve a mesma sorte no dia 20 de agosto, quando realizaram o segundo ataque. Morrera no dia seguinte. Mesmo Stalin e Trotsky serem de correntes marxistas, as diferenças foram pontos cruciais entre os dois. Trotsky acreditava que a revolução comunista não deveria ficar restrita à União Soviética, diferentemente de Stalin. Dessa forma, para Trotsky era fundamental que houvesse uma organização e consolidação da classe operária para entidade política. A Revolução Permanente defendida pelo Trotsky alegava a revolução socialista podia ser alcançada na sociedade sem que ela tivesse que alcançado o capitalismo, que também divergia de Stálin. Uma das maiores obras biográficas de referência sobre Trotsky é do historiador polonês Isaac Deutsche, sendo elas em três volumes: O profeta armada (1879-1921), O profeta desarmado (1921-1929), O profeta banido (1929-1940).

Na imagem, Trotsky no comando do Exército Vermelho durante a guerra civil russa.

#HojeNaHistória

Campanha de assinatura no Catarse

https://www.catarse.me/clio

Financiadores desse post:
Cristina Lima, Gabriel Bastos, Gui Ashcar, Humberto Athayde Jr., Marcelo Kriiger Loteiro, Nathália Castilho Gonçalves, Paula Guisard, Rosana Vecchia, Suzana Athayde

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s