Assassinato de Leon Trotsky | Hoje Na História

Hoje na História, 21 de Agosto de 1940

No dia 21 de agosto de 1940, há 79 anos, morria o revolucionário Leon Trotsky, em Coyoacán, no México. Foi uma das principais figuras por trás da Revolução Russa, ao lado de Lênin e dos bolcheviques. Ele nasceu na cidade de Ianovka, na Ucrânia, e seu nome era Lev Davidovich Bronstein. Conheceu o Marxismo anos 17 anos, quando foi estudar na cidade de Nikolaiev, e já no ano seguinte liderava o Sindicato dos Trabalhadores do Sul da Rússia. Aos 20 anos foi preso com outros membros do sindicato. Ficou anos exilado por perseguição política. Ainda em 1903, quando os Sociais-Democratas russos se dividiram entre Mencheviques e Bolcheviques, Trotsky se posiciona pelos Mencheviques, criando nesse momento atritos com Lênin. Ele ficou mais alguns anos exilado devido ao ativismo revolucionário e voltou para a Rússia em 1917, após a queda de Czar e o governo provisório que o sucedia. Já no contexto da Revolução ele fica ao lado de Lenin com os bolcheviques, sendo uma das principais cabeças organizadoras dos trabalhadores. Derrubam o governo provisório e projetam o início da República Soviética da Rússia. Após a consolidação da Revolução, marcada pelo fim da Guerra Civil entre o Exército Vermelho (pró-revolução) e o Exército Branco, Lenin morre em seguida em 1924. Com esse desfecho, Trotsky passa a ser perseguido por Stalin que o reconhecia como seu último opositor. Dessa forma, Trotsky sai novamente como exilado da Rússia, passando anos por inúmeros países e se fixando no México. Em maio de 1940 ele sobrevive a um ataque a mando de Stalin para matá-lo, mas não teve a mesma sorte no dia 20 de agosto, quando realizaram o segundo ataque. Morrera no dia seguinte. Mesmo Stalin e Trotsky serem de correntes marxistas, as diferenças foram pontos cruciais entre os dois. Trotsky acreditava que a revolução comunista não deveria ficar restrita à União Soviética, diferentemente de Stalin. Dessa forma, para Trotsky era fundamental que houvesse uma organização e consolidação da classe operária para entidade política. A Revolução Permanente defendida pelo Trotsky alegava a revolução socialista podia ser alcançada na sociedade sem que ela tivesse que alcançado o capitalismo, que também divergia de Stálin. Uma das maiores obras biográficas de referência sobre Trotsky é do historiador polonês Isaac Deutsche, sendo elas em três volumes: O profeta armada (1879-1921), O profeta desarmado (1921-1929), O profeta banido (1929-1940).

Na imagem, Trotsky no comando do Exército Vermelho durante a guerra civil russa.


Conheça nossa campanha de financiamento contínuo

Entre em https://www.padrim.com.br/cliopodcasts e ajude a partir de R$ 1,00 mensais a manter esse projeto no ar e produzindo cada vez mais conteúdo acessível para todas e todos.

Financiadores desse post

Alexandre Athayde, Claudia Bovo, Fabiana Jimenez, Henrique Mundim, Marcia Tereza Alfradique Quintella Diniz, Paula Guisard, Rosana Vecchia, Rosi Marques
Para todos vocês, nosso muito obrigado!

Siga o Clio nas Redes Sociais!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Saiba como seus dados em comentários são processados.