Suicídio de Ernest Hemingway

Hoje na História, 2 de Julho de 1961

No dia 2 de julho de 1961, há 58 anos, o jornalista e escritor estadunidense Ernest Hemingway aos 61 anos de idade cometia suicídio na sua casa em Ketchum, em Idaho. Hemingway é considerado por diversos críticos literários e historiadores da literatura como o maior romancista estadunidense de todos os tempos, e seus contos não devem nada em qualidade para seus romances. Entre seus romances encontram-se obras como O Sol Também se Levanta, Por Quem os Sinos Dobram, Adeus às Armas e O Velho e o Mar. Espírito indômito, Hemingway fez parte da chamada Geração Perdida de escritores estadunidense, a maioria exilados em Paris, que tinham críticas muito severas ao caráter moralista da sociedade dos EUA, entre os escritos dessa geração estão F. Scott Fitzgerald, Gertrude Strein, T.S. Eliot, Erza Pound e Sylvia Beach. Muito da verve dessa geração é capturada por Hemingway em seu romance de estréia, “O Sol Também se Levanta”. Como jornalista Hemingway cobriu as duas guerras mundiais, além de ter morado em Cuba e na China. Seu estilo consiso e ecônomico, apelidado de teoria do iceberg, é uma de suas características literárias mais célebres.

Na imagem foto de Hemingway datada de dezembro de 1939, em Sun Valley Lodge, enquanto escrevia Por Quem os Sinos Dobram

Vamos celebrar a memória desse grande escritor, deixe no comentário o seu livro favorito de Ernest Hemingway



Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s