Desvendando uma Fábula Humanista

Uma leitura de “Utopia”, de Thomas More Mapa de Abraham Ortelius datado de cerca de 1545 O que torna um clássico, um clássico, sua imortalidade? A capacidade de se apresentar como pertinente e estruturante perante as gerações sucessoras a ele? Sua capacidade de ser inesgotável às leituras futuras, e passadas? Em suma, todos esses apontamentos…

Afinal, Por Que Temos que Continuar a Ler os Clássicos?

Uma pequena defesa da leitura dos grandes clássicos da humanidade Por conta de um freelance de redação, que peguei há algumas semanas, tive que ler um artigo científico sobre liderança e poder, e nesse texto havia uma aproximação entre esses dois conceitos, porém de uma forma positiva, tirando todo o caráter moral do poder exercido,…