Droit du Seigneur

Um senhor feudal poderia violar um casamento?

A nossa querida Idade Média foi vítima das mais diversas formas de distorções e má interpretações pelos tempos que a ultrapassaram. Homens e mulheres medievais foram taxados de irracionais que covardemente obedeciam senhores do feudo e da cruz sem o mínimo questionamento ou resistência. E durante o Iluminismo surgiu, provavelmente com Voltaire, uma das fake news mais absurdas sobre a Idade Média: o droit du seigneur. E você sabe o que é o droit du seigneur?


Você também pode ouvir o episódio no Apple PodcastsSpotify, Google PodcastsCastbox, Amazon Music além e demais agregadores de podcasts. Para ouvir basta clicar no nome do agregador. Você também pode baixar o episódio clicando aqui

Assine: Apple Podcasts | Spotify | Google Podcasts | Castbox | Amazon Music | Android | RSS


Trilha Sonora

  • Tbilisi Symphony Orchestra: The Marriage of Figaro: Overture (Mozart)
  • The Pipe Band Of The Royal Tank Regt: Scotland the Brave
  • Justin Johnson: Sound of Silence
  • Kum Song School: Take on Me (A-Ha)

Dossiê Visual

Para aumentar a sua experiência com esse episódio separamos algumas imagens num pequeno dossiê visual.

Legenda para as imagens acima:

  1. Óleo sobre tela Le Droit du Seigneur, datado de 1874 e assinado por Vasily Polenov.
  2. Óleo sobre tela Jus Primae Noctis, datado de 1888 e assinado por Adolfo Ferragutti Visconti.
  3. Óleo sobre tela Le Droit du Seigneur, datado de 1872 e assinado por Jules-Arsène Garnier.
  4. Retrato em têmpera sobre madeira de autor desconhecido e datado do século XVI de Hector Boece, um dos criadores do mito do droit du seigneur.
  5. Retrato em óleo em tela de Voltaire, um dos maiores responsáveis pela expansão e consolidação do mito. O retrato é datado de ou 1724 ou 1725 e é assinado por Nicolas de Largillière,
  6. Aquarela anônima retratando um cena da ópera As Bodas de Fígaro, composta por Wolfgang Amadeus Mozart em 1786. A obra tem libretto de Lorenzo da Pontte e é considerada a maior ópera buffa de todos os tempos e uma das reconhecidas obras de Mozart.
  7. Cena do longa Coração Valente onde é descrito o casamento de William Wallace e sua noiva Murron MacClannough, no longa os dois casam em segredo para evitar o jus primae noctis reestabelecido por Eduardo I, o Pernas Longas. Tanto o casamento de Wallace quanto a implantação do suposto direito não encontram nenhum embasamento na historiografia e são pura fantasia e romance para açucarar o filme.

Contato: medievalissimo@gmail.com

Venha participar do Medievalovers, grupo de WhatsApp do Medievalíssimo clicando aqui

  • Texto: Bruno Rosa
  • Edição de Áudio: Bruno Rosa
  • Capa: Bruno Rosa

Pix: cliohistoriaeliteratura@gmail.com

Conheça a nossa linha de camisetas com temáticas históricas na Vandal clicando aqui

Conheça nossa campanha de financiamento contínuo

Entre em www.catarse.me/clio e conheça a nossa campanha de crowdfunding no Catarse, a partir de R$ 5,00 você já ajuda o Clio a se manter no ar e produzir mais conteúdos para vocês

Financiadores desse post

Alexandre Athayde, Claudia Bovo, Fabiana Jimenez, Henrique Mundim, Paula Guisard, Rosana Vecchia, Rosi Marques, Suzana Athayde

Para todos vocês, nosso muito obrigado!

Você também pode nos financiar via PicPay! Se você tem um cashback sobre então porque não apoiar um projeto de comunicação e educação histórica.

Procura a gente lá em https://app.picpay.com/user/cliohistoriaeliteratura

Siga o Clio nas Redes Sociais!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Saiba como seus dados em comentários são processados.